Número total de visualizações de página

terça-feira, 15 de novembro de 2011

«No Moinho»... Carta

Depois de termos lido o conto «No moinho» de Eça de Queirós, os alunos de 9ªC escreveram algumas cartas inspiradas também no título "Lettres de mon moulin" de Alphonse Daudet e no quadro "O Moinho" de Corot.

Eis um exemplo:

Cortes do Meio , 31 outubro 2011


Estimada mãe:

Escrevo-te do Moinho, onde tenho passado os meus dias. Conheci um rapaz, o homem dos meus olhos. É alto, tem boas posses e acima de tudo, dá-me segurança. Já são pesadas as saudades que trago comigo e que vão aumentando de dia para dia.

O meu dia é passado à beira rio, onde tenho pensado muito sobre o que vou fazer da minha vida. O rapaz de que te falei chama-se Marco, já conheci a família dele. Tudo boa gente e rica. Não sei se vai agradar ao pai, mas gostei mesmo dele e, recentemente, pediu-me em casamento. Ainda não aceitei e é essa mesma a razão pela qual te escrevo. És só tu que me compreendes e me aconselhas da melhor maneira, mesmo desde pequena. Sei que ainda não o conheces, mas ele é tudo o que eu desejava há muito tempo. Não me quero precipitar, nem fazer algo de que me possa vir a arrepender.

Minha mãe, aqui te escrevo, junto a este rio que parece ter uma corrente sem fim, junto a uma ponte de pedra que liga dois mundos diferentes. Tenho saudades tuas, do pai, da mana. As brincadeiras, os jantares, as chegadas a casa, ao fim da tarde…Sinto saudades disso tudo. Por vezes, arrependo-me de ter partido para este mundo sem fim…

Vou ficar à espera de uma resposta tua, ou até mesmo da mana ou do pai. Quero ver a reação dele ao saber que estou noiva. Só espero que compreenda que já não sou uma criança e que quero fazer da minha vida, uma vida melhor, construir família, arranjar emprego e ter uma vida saudável.

Com muita saudade,

Um grande beijo da tua filha,

Amália (Lina Esteves, 9ºC)

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

ALGUMAS FOTOS DA ATIVIDADE "LEITURAS ASSUSTADORAS"

Na aula de Estudo Acompanhado fizémos várias leituras mágicas e "assustadoras" e a nossa professora recomendou-nos a coleção "Arrepios" para quem gosta de se divertir com histórias de terror, mistério e muito mais... Também pudémos ir à Bibliotca e ver aí os livros recomendados para este dia...Foi um forma diferente e divertida de dizer: " Vai-te embora, ó medooooooo!".... :D....

A professora também nos recomendou a leitura de algumas novas aquisições da Biblioteca e que estão de acordo com as sugestões do PNL (Plano Nacional de Leitura) para o nosso ano de escolaridade e faixa etária.

Eis algumas fotos:




5ºA



Eis também alguns comentários ao Encontro com a escritora Teresa Reis que organizámos na nossa escola, no Mês das Bibliotecas Escolares, par alançamento do livro JANELA:

«Professora Helena Borges disse...




A turma do 5D da Escola 2º e 3º Ciclos do Tortosendo considera esta atividade muito interessante e educativa porque podemos conhecer um escritor na vida real. Podemos aprender muito sobre a sua vida. »




25 Outubro, 2011

 A ESCRITORA Teresa Duarte Reis disse NO BLOGUE DA NOSSA BIBLIOTECA (Vejam aí tb o smilebox deste evento com a reportagem fotográfica!!)...

«Gostei muito de estar nesta Escola onde sou sempre tão bem recebida! Crescemos por dentro, cada vez que revelamos os nossos sonhos e ajudamos os outros a sonhar.


Janela é mais um pedaço de mim que pretendo levar aos mais jovens para os ajudar a "crescer".


Um abraço carinhoso »

sábado, 29 de outubro de 2011

"LEITURAS ASSUSTADORAS" - 31 DE OUTUBRO

Depois de termos celebrado o Dia Europeu das Línguas, com várias atividades, e o Mês das Bibliotecas escolares, com um encontro com uma escritora, preparamo-nos agora para as "Leituras assustadoras" no próximo Dia das Bruxas...^^. Vai ser na aula de Estudo Acompanhado, do 5ºA, pelo Clube dos Leitores Vivos.


Em breve publicaremos as fotografias das várias atividades que decorreram até ao momento. Obrigada a todos os participantes pelo empenho demonstrado ...:D!

Continuem a ler, a propósito de tudo e de nada! Vale muito a pena!!

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

AS MINHAS FÉRIAS DE VERÃO

   Nas minhas ferias de verão, fui para a piscina com o meu pai. Andei de bicicleta, joguei à bola com as minhas vizinhas. Algumas vezes, jogava com o meu cão. Ajudei o meu pai, numa festa organizada pelo  patrão que demorou ate às quatro da manhã. Participei na procissão de S.José Operário, onde consegui um autógrafo  da Maria Lisboa .
   Também fui à feira de S. Tiago, onde comi muitas farturas. Aí comprei um carro telecomandado, do qual o meu cão tem medo. Depois, passei um dia no "MÁRIO", onde o meu pai trabalha . Também me deram um livro de 400 páginas que li num dia e meio .
     Um dia fui à Nazaré e a Fatima , onde comprei um terço que me está a dar muito jeito na catquese . Mas, primeiro fui à Nazaré  tomar um banho à praia. A minha mãe já tinha posto dois garrafões no carro sem nós sabermos  e então lá fomos enchê-los .  Depois, eu fui tomar um banho, com o meu pai  e veio  uma onda e eu  ia sendo puxado...Se não fosse o meu pai, não estaria cá .
        Com isto tudo, adorei as minhas férias de verão ! Foram maravilhosas ...


Rodrigo Inácio, 5º A, nº18

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

QUERO SER ESCRITORA

        Nas férias de verão, comecei a ler o livro «Quero ser escritora».O livro é muito bonito, mesmo muito interessante, ainda bem que é meu! Quando o estou a ler é como se as letras brincassem comigo rissem para mim e quando o leio é como se entrasse para a história.É tudo tão imaginário!
         A imaginação comanda a história e as letras seguem-na. Todas as histórias são incríveis, mas esta tem qualquer coisa  de diferente. As letras e a imaginação são inseparáveis, são estritamente «amigas do coração», trabalham em conjunto, mas a imaginação depende de cada um de nós.
          Sabem, para fazermos uma história divertida, engraçada e alegre, é preciso que todos os elementos da escrita estejam presentes. A pontuação também é muito importante, pois torna um texto mais expressivo...
Quando ainda não sabemos escrever, achamos uma seca, mas depois, quando já aprendemos, nem queremos acreditar que dissemos isso. E depois, quando começamos a escrever histórias, não queremos que ninguém, mesmo ninguém fale mal da nossa Língua Portuguesa!

      Bruna Elias, nº 1 5ºA
                                                      

Escritores de liberdade - trailor ( Freedom writers diary)

http://www.youtube.com/watch?v=xkEr2SDknLY

Revejam....:D!

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

«Páginas de liberdade», um filme inesquecível sobre a importância da leitura e da escrita catártica de diários

   «Páginas de liberdade» é um filme muito emotivo sobre a vida de uma professora no seu primeiro ano  de serviço, cheia de sonhos, entusiasmo e ideias inovadoras, que acredita que as pessoas podem mudar através dos livros que lêem, mas sobretudo que podem agir para melhorar as suas vidas e que podem encontrar na escrita uma espécie de catarse libertadora.
   Miss G é colocada numa escola de perifieria e cabe-lhe lecionar Inglês a uma turma com alunos de etnias  e raças diferentes, oriundos de famílias marginalizadas, pertencentes a gangs rivais e que apenas frequentam a escola por vontade dos pais ou ordem dos tribunais. Todos eles viram pessoas próximas morrerem e todos viveram vidas difíceis. A revolta patente nas suas atitudes deve-se, sobretudo, ao facto de eles próprios terem sido abusados nos seus direitos de crianças e jovens, negligenciados e ao sentimento de perda, daí a sua tendência para a violência e agressividade. Miss G entende isto  melhor que ninguém e percebe que eles precisam de ajuda. Com o decorrer das aulas, os alunos entravam em conflito uns com os outros e defendiam os que pertenciam aos seus gangs, dentro e fora da sala de aula. Contudo, a professora nunca desistiu, pois percebeu que estava ali para cumprir a sua missão: ajudar aqueles alunos, insignificantes aos olhos de outros, mas que, a seu ver, tinham algo de especial para partilhar com o mundo.
   No início, as suas aulas eram sistematicamente interrompidas e muito complicadas, mas graças ao seu empenho  e teimosia ganhou a confiança dos alunos. Foi necessário persistência e muitas estratégias e jogos diferentes até eles começarem a mudar. Os outros professores consideravam que aqueles alunos eram demasiado perigosos e não mereciam nem sequer um livro, quanto mais frequentar a biblioteca. Miss G decidiu então comprar ela própria um livro especial para cada aluno da turma com o intuito de os motivar para a leitura. Fê-lo com o seu próprio dinheiro, acumulando outro emprego e pondo em risco o seu casamento por se dedicar demasiado à escola e a uma família que não era a sua, mas resultou. De seguida, ofereceu-lhes o «Diário de Anne Frank». Os alunos ficaram admirados, nunca lhes tinham dado livros novos. Entusiasmaram-se com o livro, escrito por uma adolescente que sofria como eles, com as mesmas ânsias e alegrias também e liam, liam, liam e achavam que aquele livro tinha algo a ver com eles. Então a professora decide, de seguida, comprar um caderno para cada um deles poder escrever, como um diário que poderiam deixar todos os dias no armário, para Miss G ler o que haviam registado. Foi uma surpresa quando a professora verificou que todos os cadernos estavam lá para ela ler e que todos tinham imensas histórias dramáticas para contar e que a escrita, de facto, os estava a ajudar a reencontrar o caminho a seguir. Ficou contente, pois percebeu que, finalmente, ganhara a confiança deles e a sua missão estava a dar resultado.
   Os alunos foram -se conhecendo melhor e já queriam ir às aulas, sentiam-se bem, no seu espaço e naquela "família" de colegas até que um dia manifestam o desejo de conhecer a senhora que escondera Anne Frank, Miss Giepps. Com grande entusiasmo, imediatamente todos concordaram e começaram a organizar-se para que este projeto fosse possível: escreveram cartas para convidar a senhora, onde também falavam de si, angariaram fundos, fizeram festas, cada um deu o que tinha de melhor e finalmente, alguns dias depois, para espanto de todos os outros professores e com grande destaque na imprensa, chegou o dia e lá estava a senhora. Ouviram-na com todo o respeito e atenção e prepararam várias perguntas. Foi um momento muito emocionante e de grande aprendizagem.
   Pouco tempo depois, as aulas estavam já a acabar e os alunos dão-se conta de que não poderiam ficar  com a mesma professora no ano seguinte: a professora que mais os apoiara, ajudara a crescer e a amadurecer e tanto os marcara. O desânimo é geral e decidem que a escola perderia o interesse, deixariam de querer aprender  e voltariam às suas vidas desorganizadas e turbulentas, pois o elo que os ligava à professora, à cultura  e à escola iria perder-se. Lutam e conseguem, em conjunto, fazer a Direção e os quadros superiores entender isso.
   Esta é uma história verídica e os seus diários foram publicados ( «The freedom diary writers») e, na verdade, todos os alunos conseguem  ser então os primeiros do seu meio e das suas famílias  a terminar o liceu e alguns deles continuaram mesmo com Miss G como  professora de Inglês na Universidade.
   Esta é também  uma história sobre heróis do dia a dia. Heróis anónimos: professores e alunos. Pessoas que não perdem a esperança. Pessoas que dão o máximo em silêncio sem esperar em troca. Professores que se empenham para criar melhores leitores e melhores pessoas. Professores que sabem que aprender a ler é sempre aprender a Ser melhor, Pensar melhor, Escolher e Agir melhor.


Foi um filme que nunca esqueceremos.

(9ºC e professora Rogélia Proença, texto melhorado)

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

AS MINHAS FÉRIAS

   As minhas férias foram espetaculares. Fui com os meus pais para o Algarve, Vilamoura, estivemos lá 15 dias.
   A praia era muito calma e a água estava muito quentinha, íamos todos os dias de bicicleta para a praia do Cavalo Preto.
   Passados alguns dias uns amigos dos meus pais foram lá para casa uma semana, foi uma diversão!
   Ao pé da nossa casa estavam lá uns insúflaveis muito grandes e eu estava sempre a pedir para lá ir com os filhos dos amigos dos meus pais. Um dia lá fomos, foi um espetáculo! Estavamos sempre a saltar e assim...
   Também fui à feira medieval de Castro Marim, havia lá muitas pessoas disfarçadas com fatos medievais.
   Foi muito giro! Adorei estas férias!
                                                                                                                             Maria Pedro Madeira
                                                                                                                                  N.º 14
                                                                                                                                  Turma 5.º A

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

HORÁRIO PARA ESTE ANO LETIVO 2011/12

Caros membros do Clube dos Leitores Vivos e futuros interessados em participar  neste Clube pela emocionante aventura da leitura em interação com a vida :D...

Vimos divulgar o novo horário, agora sim definitivo, depois de alguns contratempos para conseguir conciliar as vontades de todos ;D:

* 5as Feiras: 15:40 - 16:25;
* 6as feiras: 16:25 - 17:10;

Esperamos poder começar já na próxima 5a feira.

Até breve e ...Boas leituras!

quinta-feira, 21 de julho de 2011

SERÃO DOS CONTADORES ANDARILHOS (3ª EDIÇÃO)

Eis algumas imagens da actividade de final de ano, aberta à comunidade escolar, pais e familiares, dinamizada pelos elementos do Clube dos Leitores Vivos, com a colaboração dos 6ºD e 8ªC e sua dinamizadora, Prof. Rogélia Proença.
Colaboração Direcção e Coordenadora BE.

1ª Parte: Dramatização do conto "Pelos caminhos de Portugal" (Rogélia Proença e CLV) no âmbito do projecto Comenius:
















2ª parte: Divulgação aos pais do conto "Pequeno-Almoço uma fórmula de energia e alegria" - "deveria dar-vos ouvidos" - No âmbito do Concurso Nestlé, proposto pelo PES. Autoria: Maria Machado, Texto melhorado, Rogélia Proença, Clube Leitores Vivos.











3º Parte: Récita de poesia lusófona e entrega de certificado a elementos do Clube dos Leitores Vivos (BE), dos anos lectivos 2009 a 2011








Agradecemos a todos os familiares e amigos presentes pela colaboração e também pelas palavras finais proferidas e, em especial, ao pai do aluno João Vaz, pela cedência de fotos deste evento que estarão disponíveis no início do próximo ano lectivo para cópia (falar com a professora ;).
 Esperamos continuar a contar com todos estes membros do clube de leitura, sempre empenhados e prontos para Agir na escola e na comunidade, em prol da cultura e da causa literária!

UM BEIJINHO ENORME, BOAS FÉRIAS E ...BOAS LEITURAS!!

Prof. Rogélia :-)

domingo, 5 de junho de 2011

SEMANA DA POESIA E DA ÁRVORE/FESTA DA PRIMAVERA/ ANO INTERNACIONAL DAS FLORESTAS (ii)

SEMANA DA POESIA E DA ÁRVORE


Ao longo da Semana da Poesia e da Árvore, foram dinamizadas várias actividades de promoção do gosto da leitura e escrita de poesia, a saber: “A POESIA SAI À RUA” (RECITAL DE POESIA PORTUGUESA), por 6ºD para os utentes do Centro de Dia e Apoio à 3ª Idade do Tortosendo; “CEM SONETOS PORTUGUESES, UM ROSTO UM POEMA”, dinamizado pelo 8ºC para docentes e discentes da escola (3ºciclo); "ATELIÊ DE POESIA LUSÓFONA" (6ºC E CLV, Biblioteca) e "POEMAS DA VERDADE E DA MENTIRA" (6ºC para o 2º ciclo).
Para além disso, a comunidade escolar foi convidada a transcrever numa folha de papel, em forma de folha de árvore, o seu poema em Língua Portuguesa preferido e a colocá-lo no “Muro das Letras”, preparado pelas turmas 6ºC, D e 8ºC para o efeito. Desta forma, sob iniciativa destas turmas, no âmbito da disciplina de Língua Portuguesa, pretendeu-se comemorar o Dia da Poesia, Dia da Árvore e a entrada da Primavera, sensibilizando-se de forma criativa e original todos os participantes para a ideia de que «A POESIA NASCE DA VIDA, COMO AS FOLHAS DAS ÁRVORES», reiterando-se assim um topos literário recorrente: a caducidade da vida e a sua revalorização urgente, tendo em conta a sua efemeridade.

Esta actividade teve a colaboração dos alunos do Clube dos Leitores Vivos e alargou-se aos alunos de Francês (8ºC) que criaram também “Un arbre de poèmes”, com materiais naturais, ”árvore” posteriormente colocada na Biblioteca. Os alunos de Francês pesquisaram poemas de Jacques Prevert e Paul Elouard, a propósito da Primavera (Printemps) e da Natureza, nesta língua estrangeira, e produziram ainda acrósticos e poemas visuais, organizando um pequeno livro que ofereceram à comunidade escolar. Convidaram os colegas do 9ºC e celebraram a Festa da Primavera, La Fête du Printemps, onde procederam a um recital dos poemas pesquisados e produzidos por eles, seguido de um lanche - convívio com especialidades gastronómicas francesas deliciosas!

Um momento interessante desta festa foi a Homenagem a Jacques Prevert, através do visionamento da animação do poema “PARA FAZER O RETRATO DE UM PÁSSARO”(«Pour faire le portrait d'un oiseau»).

http://www.galiamania.blogspot.com/

Prof. Rogélia Maria Proença

SEMANA DA POESIA E DA ÁRVORE/FESTA DA PRIMAVERA/ ANO INTERNACIONAL DAS FLORESTAS






quinta-feira, 2 de junho de 2011

VER, JULGAR E AGIR...OS LIVROS SAEM À RUA! :)

Na útima semana de aulas,  os alunos convidarão os seus familiares para partilharem com eles algumas das aprendizagens que não poderão ficar apenas dentro da sala de aula ...

Assim se fará a III Edição do SERÃO DOS CONTADORES ANDARILHOS, mais uma actividade a dinamizar pelos alunos do Clube dos leitores vivos, para a Comunidade, sob orientação da professora de Língua Portuguesa!




VER, JULGAR E AGIR...OS LIVROS SAEM À RUA! :)

«A minha vida dava um livro ...?»


Actividade inserida na Semana da Leitura. Após o estudo do Diário e da Biografia e partindo dos exemplos das biografias de Gandhi, Martin Luther King, Nelson Mandela e outros (publicação semanal do Jornal Expresso), os alunos do 6ºC foram convidados pela professora de Língua Portuguesa a preparar uma actividade para a qual convidassem pessoas cuja vida os inspirasse e sobre a qual tivessem alguma curiosidade. Os alunos convidaram apenas professores (professoras Paula Ramos e Rogélia Proença e Cândido Calheiros) e as suas perguntas foram uma total surpresa para os intervenientes ...
Os alunos quiseram saber mais sobre a vida de professor: as  diferenças sentidas no processo de ensino-aprendizagem ao longo das últimas décadas;  como e quando escolheram estes docentes a sua carreira, isto é, como souberam que caminhos seguir e porquê... Quais os seus sonhos... e muito mais sobre as dificuldades e desafios já vivenciados, quer a nível pessoal quer profissional.Foram momentos aliciantes que estreitaram ainda mais as relações interpessoais desejadas e permitiram aos alunos uma visão diferente do Ser Humano que é o professor :)!
Afinal, alguns concluiram mesmo ...«...a sua vida dava mesmo um livro!», «Devemos sempre seguir os nossos sonhos, apesar das dificuldades que a realidade nos possa impor»!
Uma actividade a repetir!

Aqui se reporta a actividade do dia 27 de Abril...

Para a útima semana de aulas, ficou ainda combinado que os alunos convidarão os seus familiares para partilharem com eles algumas das aprendizagens que não poderão ficar apenas dentro da sala de aula ...Assim se fará A III Edição do SERÃO DOS CONTADORES ANDARILHOS, mais uma actividade pelos alunos do Clube dos leitores vivos, para a Comunidade!

VER, JULGAR E AGIR...OS LIVROS SAEM À RUA! :)

DIVULGAÇÃO DO CONTO CRIADO PARA O CONCURSO NACIONAL DA NESTLÉ "APETECE-ME TOMAR O PEQUENO-ALMOÇO" ESCRITO POR UMA ALUNA DO CLUBE (MARIA MACHADO -6ºC) DRAMATIZADO PELOS ALUNOS DO CLUBE








FOTOS DA SESSÃO DE NARRAÇÃO E INTERACÇÃO (6ºC E CLUBE LEITORES VIVOS PARA 3º E 4º ANOS DA EB1 MONTES HERMÍNIOS) DO CONTO CRIADO (POR MARIA MACHADO), INSPIRADO EM CASOS REAIS DA NOSSA ESCOLA, E DRAMATIZADO PELOS ALUNOS DO CLV.

SEMANA DA LEITURA

VERIFICAR VÍDEOS E REPORTAGENS DAS ACTIVIDADES DA SEMANA DA LEITURA JÁ PUBLICADOS NO BLOGUE DA BIBLIOTECA http://www.bibliotecatortosendo.blogspot.com/

domingo, 8 de maio de 2011

VISITA DE ESTUDO A LISBOA E SINTRA (PALÁCIO DA PENA E PERCURSO QUEIROSIANO) :) - 8º C

PALÁCIO DA VILA OU PALÁCIO VALENÇAS EM SINTRA 



                                                   TORRE DO TOMBO


1º COMPUTADOR EM PORTUGAL

RELATÓRIO DA VISITA  DE ESTUDO

   No dia vinte e nove de Abril de dois mil e onze, as turmas do 8 ºano da Escola Básica de 2º e 3ºciclos de Tortosendo, acompanhados dos professores Maria Prazeres e Rogério Monteiro de Matemática, Rogélia Proença e Paula Guiomar de Português e Helena Lindeza de Área de Projecto foram em visita de estudo até Lisboa e Sintra. Visita esta de objectivo  pluridisciplinar, pretendendo-se levar os alunos a  mobilizar conhecimentos destas várias áreas disciplinares, promovendo assim a ligação da escola à vida. Proporcionou-se aos mesmos a visita ao Departamento de Matemática da Faculdade de Ciências da Universidade Clássica de Lisboa, à colecção Berardo no Centro Cultural de Belém, zona emblemática de Lisboa, e ao Palácio da Pena, em Sintra, vila património histórico e cultural da humanidade e espaço privilegiado das obras de Eça de Queirós.

   Os primeiros alunos chegaram à escola por volta das seis e meia da manhã, e, logo de seguida, os professores à hora combinada, pelas seis e quarenta e cinco, partindo de seguida às sete e três minutos. Houve durante a viagem uma boa disposição constante e,com alguma algazarra, parámos na estação de serviço de Vila Velha de Rodão, por volta das oito e quarenta e cinco minutos. Chegámos a Lisboa por volta das dez horas.

   Passámos pelo estádio de Alvalade, parando alguns metros depois no campus universitário, na FCUL para vermos as instalações da Universidade Clássica, a Torre do Tombo, os edifícios premiados a nível arquitectónico e a exposição sobre o cálculo: "Cálculos de ontem e de hoje". O guia explicou-nos a evolução dos objectos de cálculo, bem como a origem da expressão "banca rota" e pudemos ainda ver o primeiro computador de Portugal, da década de sessenta, do século XX. Almoçámos no Centro Comercial Colombo, com vista para o Estádio da Luz (conhecido também como "A catedral").

   Depois do almoço, partimos para o CCB para vermos a exposição "Observadores" da colecção Joe Berardo. Esta exposição consistia na dilucidação dos três vértices da arte: o artista, a obra e o público.  Os lemas "Os dados estão lançados" (alea jacta est) e "The show must go on" deram início ao percurso. A apresentação foi dialogada e pudémos aprender a interpretar uma exposição. Foi interessante!

   À saída do museu, estava a chover e as turmas correram para o autocarro "que nem pardais"! Apanhámos, então, trânsito intenso até chegar a Sintra. A nossa professora de Português já nos tinha falado da beleza extraordinária da paisagem de Sintra, entre o mar e a serra, e o clima de nevoeiro veio adensar esta ideia romântica com que ficámos da vila. 
   Apesar de nunca termos lido Os Maias, de Eça de Queirós (que leremos no âmbito da disciplina de Português no décimo primeiro ano), ficámos motivados para perceber a intriga da obra, sendo que é em Sintra que Carlos da Maia vai ao encontro de Maria Eduarda. Toda a mística da vila despertou a nossa curiosidade e esta foi a parte da visita que preferimos!
  Ao chegar, pudémos ver o Hotel mais antigo da Península e o mais requintado de Sintra (agora restaurante) Lawrence, onde as personagens queirosianas se encontravam, o Palácio da Vila e percorremos o Passeio Público  até ao Palácio da Pena. Apanhámos um autocarro turístico para o Palácio da Pena e depois seguimos a pé pela serra, pela vereda indicada.   
 A nossa professora falou-nos também da Lenda da Moura Encantada dos Sete Ais, que estará na origem do nome do Palácio de Seteais, onde quem aí der um ai receberá de troco, pelo eco, outros seis ais, em honra da moura morta por um cristão.


   O Palácio da Pena foi habitado pelo rei D.Carlos e sua esposa,  rainha D. Amélia, e por seus filhos Luís Filipe e Manuel. Com uma grande beleza exterior e uma lindíssima e requintada decoração de interiores, fruto da riqueza do nosso Império, este palácio, construído nos séculos XVIII e XIX, é um ex-libris da Vila de Sintra, sendo agora considerado uma das Sete Maravilhas de Portugal.


  Terminada a visita ao palácio, descemos até à vila de Sintra, passeámos pelas suas ruelas e comprámos lembranças no comércio tradicional, bem como as famosas queijadas e travesseiros típicos na Piriquita, uma pastelaria e casa de chá, referida também na obra literária de Eça.
 Para terminar, tirámos uma foto de grupo, mesmo em frente ao Palácio Valenças ou Palácio da Vila. Depois, fomos jantar ao Centro Comercial outlet de Campera, à entrada do Carregado, e partimos em direcção ao Tortosendo, onde chegámos à meia-noite e cinquenta e seis.

   Foi um dia diferente e muito divertido!

                                                      Eduardo Moutinho, nº6 e Maria Soares, nº11- 8ºC


No dia 29 de Abril, realizou-se a visita de estudo a Lisboa e Sintra com os alunos de 8ºs anos, no âmbito das disciplinas de Português, Educação Visual, Matemática e Área de Projecto.
Partimos da escola às 7:00 da manhã, havendo uma paragem antecipada devido à indisposição de uma aluna, pois a paragem estava prevista para Abrantes.

A nossa próxima paragem foi na Faculdade de Ciências da Universidade Clássica, em Lisboa, onde tivémos acesso às instalações (auditórios) onde se realizam algumas palestras e se leccionam as aulas e ficámos admirados com o conforto das cadeiras. Tivemos também uma pequena explicação sobre a evolução da Matemática, das calculadoras, ábacos e computadores.

De seguida, fomos ao Centro Comercial Colombo, onde fizémos uma paragem de 45 minutos para almoçar.

Partimos às 14:00 para o Centro Cultural de Belém, junto aos Jerónimos, onde está sepultado Camões e Vasco da Gama e de onde avistámos o Padrão dos Descobrimentos. No CCB, visitámos o Museu Berardo. Ficámos entusiasmados com o facto de explorarmos mais o mundo da arte e aprendermos a exprimir melhor o que pensamos sobre a mesma. Tivemos de partir mais cedo para Sintra, devido ao trânsito intenso.

Finalmente, a tão aguardada visita ao Palácio da Pena! Aí tivémos oportunidade de observar o palácio onde moraram os últimos reis de Portugal e apreciar os seus pertences e mobiliário. Todos nós ficámos abismados com tamanha beleza, requinte e riqueza.

Mais tarde, provámos as famosas e deliciosas queijadas de Sintra e também tivemos oportunidade de comprar algumas lembranças da Vila, onde permanecemos algum tempo, passeando pelas ruelas típicas.

Por fim, à saída de Sintra e já de regresso a casa, fomos jantar ao Campera Outlet Center. O jantar foi-nos oferecido pelos professores e foi um belo momento de convívio.

A chegada à escola foi por volta da 1:00, havendo apenas um ligeiro atraso em relação ao tempo previsto.

Considerámos esta visita de estudo divertida, interessante e produtiva!

                                                                       Lina Esteves, nº10 e Rita Silva, nº13 - 8ºC