Número total de visualizações de página

quinta-feira, 25 de março de 2010

Ressuscitar os poetas portugueses na escola...
















A Poesia na escola: os mini-poetas surpreendem de porta em porta ...:)
















happenings literários : A poesia de porta em porta na escola...
















DIA DA POESIA - ENCONTRO COM UMA ESCRITORA E HAPPENINGS LITERÁRIOS
















Dia da Poesia
Encontro com a escritora Teresa Duarte Reis

HORA DE POESIA

No dia 19 de Março, Mês da Mulher, a escritora Teresa Reis veio à nossa escola para dar a conhecer aos alunos dos 5º, 6º e 7º C o seu novo livro intitulado:”Ecos do Meu Pensar”.
Não esperando ter a recepção que teve, a alegria dentro d esi era muita e emoção foi o que não faltou!
Os alunos dos 5º e 7º C, bem como os alunos do Clube de Leitores Vivos leram e declamaram alguns dos poemas deste seu mais recente livro, “Língua”, alunos do Clube, “Livro”, (Bernardo, Pedro, Guilherme e a Inês Antunes do 5ºC) “Mulher” (Laura, Rita, Daniela e Rosário , 7ºC) , “Bailarina” (Inês Gomes, Rita, Filomena e Maria, 5ºC) e “Que Caminhos?” (João Vaz, João Abrantes, Renato e António, 7ºC), sendo alguns deles acompanhados a guitarra clássica e eléctrica, enquanto passavam powerpoints com imagens ilustrativas.
Depois de ouvirem tantos e tão bonitos poemas, os alunos ficaram curiosos e queriam saber mais: De onde lhe vinha a inspiração? Como se faz para escrever um poema? Qual foi o primeiro livro que escreveu e qual era o seu preferido…e Teresa Reis esclareceu-os a todos.
No fim da entrevista, os alunos podiam comprar o livro e ainda tinham direito a um autógrafo da escritora.
Rita Silva, 5ºC ~

A escritora Teresa Reis é escritora, escreve poesia e prosa. Durante este encontro, ela esclareceu-nos como para ela é fácil escrever um poema, a partir do que vive e sente. A inspiração pode vir a qualquer momento: vai no autocarro e sai-lhe um verso, está no café e sai-lhe outro. Percebemos que para ela escrever é tão natural como respirar.
O livro de que eu mais gosto da escritora é “Os duendes no quintal do Sr. Joaquim”.
Adorei quando os meus colegas Pedro e Guilherme tocaram para acompanhar a leitura de um dos seus poemas.
João Vaz, 5ºC
Eu adorei as actividades preparadas pela nossa professora de Língua Portuguesa para celebrar o Dia da Poesia, uma delas o encontro com a escritora da nossa região. Foi espectacular!
Ela disse palavras para mim espantosas e adorou as nossas actuações, disse mesmo que nós lemos todos muito bem e até se comoveu.
No final, três das alunas do Clube dos Leitores Vivos ofereceram-lhe um ramo de flores e a escritora leu-nos o poema que dedicou à nossa escola no seu livro. Foi muito interessante!
Bernardo e Inês Antunes, 5ºC

Eu gostei muito do encontro com a escritora Teresa Reis, pois foi muito emocionante. Nesse dia, estivemos de novo com a escritora Teresa Reis e preparámos a surpresa de lhe lermos poemas do seu livro, sugeridos pela professora Rogélia, numa pequena actuação que surpreendeu a poetisa.
Nesse dia senti que os alunos estavam motivados e felizes e adorei a actuação da nossa turma.
Rosário 7ºC






HAPPENINGS LITERÁRIOS
A POESIA DE PORTA EM PORTA NA ESCOLA

No Dia 22 de Março, o Clube dos Leitores Vivos empenhou-se em mais uma actividade para celebrar o Dia da Poesia.
De sala em sala, os alunos vestidos a rigor e declamando poemas de Florbela Espanca, Eugénio de Andrade, Ary dos Santos, Fernando Pessoa, Miguel Torga, Luísa Ducla Soares, Maria Alberta Menéres, Natália Correia e Sophia de Mello Breyner, deram o seu melhor , mostrando o seu gosto pela poesia.
Depois da visita-surpresa às salas, os mini-poetas foram mostrar o seu interesse pela leitura, também ao Conselho executivo, à Biblioteca, à Secretaria e à Sala de Professores.
Com a ajuda da professora Rogélia tudo se tornou mais fácil, ela ensinou-me a não ter vergonha de ler em voz alta, em frente a outras pessoas e fez com que todos percebessem o valor da poesia e que é importante ler!
Rita 5ºC

No Dia 21 de Março celebrou-se o dia da Poesia, mas como foi a um Domingo, o Clube dos Leitores Vivos quis marcar a diferença, dando voz à poesia na escola.
A professora Rogélia Proença teve a ideia maravilhosa de nos fazer incarnar os poetas portugueses e andarmos pela escola a declamar poesia. Revivemos assim Florbela Espanca, Luísa Ducla Soares, Sophia de Mello Breyner Andersen, Natália Correia, Fernando Pessoa, Eugénio de Andrade, Maria Alberta Meneres, entre outros.
Foi uma experiência divertida que me fez gostar mais de poesia.
Eu fiz de Luísa Ducla Soares e declamei um poema cómico:
“Rei, capitão, soldado, Ladrão”.
Rita Silva 7ºC





quarta-feira, 3 de março de 2010

SE EU FOSSE UMA CRIANÇA NO HAITI ...



SE EU FOSSE UMA CRIANÇA NO HAITI, ANDARIA MUITO TRISTE, PASSARIA MUITO FRIO, DORMIRIA NO CHÃO, NÃO TERIA QUASE CONDIÇÕES NENHUMAS DE SOBREVIVÊNCIA...

NÃO TERIA BRINQUEDOS, NÃO HAVERIA ESCOLA ONDE APRENDER, POIS ESTA TERIA SIDO DESTRUÍDA...NÃO PODERIA ESTUDAR, NÃO TERIA CONDIÇÕES NENHUMAS PARA VIVER!

TAMBÉM PROVAVELMENTE NÃO HAVERIA MÉDICOS SUFICIENTES PARA NOS AJUDAREM QUANDO TIVESSEMOS DOENÇAS E OS HOSPITAIS ESTARIAM SOBRELOTADOS...

DESDE QUE HOUVE O SISMO NO HAITI, TUDO MUDOU: MORRERAM BASTANTES PESSOAS E VÁRIAS FICARAM DEBAIXO DOS ESCOMBROS DE CIMENTO DOS EDIFICIOS, VÁRIOS DIAS, ATÉ SEREM SALVOS, VIVENDO UM GRANDE HORROR.

É MUITO TRISTE VIVER NO HAITI, OU EM QUALQUER OUTRO SÍTIO ONDE ACONTECEM ESTAS CATÁSTROFES NATURAIS, COMO AGORA MAIS RECENTEMENTE NA MADEIRA, NO CHILE OU NO HAVAI E HÁ MAIS TEMPO NA TAILÂNDIA...TÊM OCORRIDO BASTANTES SISMOS E MORREM MUITAS PESSOAS, SÃO VÁRIAS VIDAS QUE SE PERDEM E ISSO ENTRISTECE-NOS A TODOS...

E OS SOBREVIVENTES FICAM COM MARCAS NA ALMA OU FRACTURAS...OS QUE SOBREVIVEM RELATAM MILAGRES, APOIANDO-SE SEMPRE NA FÉ INABALÁVEL QUE DEMOSNTRARAM...

É SEMPRE UMA GRANDE LUTA ENTRE AS PESSOAS DEPOIS PARA IREM EM BUSCA DE COMIDA E PROCURAREM ENCONTRAR VIDA, RESISTÊNCIA NESSAS CONDIÇÕES ADVERSAS.
A AJUDA INTERNACIONAL É IMPORTANTE E DECISIVA. ELES LARGAM OS ALIMENTOS DO HELICÓPTERO PARA OS SOBREVIVENTES, POIS DURANTE ALGUM TEMPO NÃO HOUVE ORDEM....TODOS QUEREM SER OS PRIMEIROS A AGARRAR ALIMENTOS PARA SI E AS SUAS FAMÍLIAS.


É SEMPRE LAMENTÁVEL VER COMO VIDAS SÃO TÃO RAPIDAMENTE CEIFADAS.

PODE ACONTECER A QUALQUER HORA, COM QUALQUER UM DE NÓS.

O TEMPO ESTÁ A MUDAR. DEVEMOS SEMPRE RESPEITAR A NATUREZA!


JOANA MENDES

(TEXTO MELHORADO)

7ºC

segunda-feira, 1 de março de 2010

CARTAS IMAGINÁRIAS ENTRE AS PERSONAGENS DE A MENINA DO MAR...:)


Na aula de Língua Portuguesa aproveitámos a quadra de S. Valentim para estudarmos a carta e falámos, então, das cartas de amor e da história da comemoração deste dia…
A nossa professora propôs ainda que, após a leitura da obra A Menina do Mar, Sophia de Mello Breyner, escrevêssemos cartas expressivas entre as personagens, o Rapaz e a Menina do Mar, imaginando a saudade que sentiam na distância, durante o tempo que estiveram separados…
CARTAS IMAGINÁRIAS DA MENINA DO MAR PARA O RAPAZ…E DO RAPAZ PARA A MENINA DO MAR…:)

« Mar Mediterrâneo, 3 de Julho de 270

Minha querida Menina do Mar,
Eu estou a escrever-te com muitas saudades tuas e, por isso mesmo, queria convidar-te para vires a minha casa. Vamos dar um passeio pela praia longa, junto à casa branca! Convida os teus amigos: o polvo, o peixe, o caranguejo para nos fazer uma das suas maravilhosas receitas.
O peixe poderá vir brincar connosco e o polvo poderá tocar uma das suas espectaculares canções. Vai ser divertido!
Venham pelo oceano e entrem no tubo especial que eu fiz. Os teus amigos poderão ajudar-te e serão bem-vindos aqui. Tenho cá uns bolinhos que vocês vão gostar e também tenho sopa de algas para os quatro, porque…pela estrada que vão andar e com todos os perigos pelo caminho, por certo vão querer comer alguma coisa quando chegarem!
Espero a vossa visita!
Beijos grandes!
O teu Rapaz
P.S. Não demorem, tenho muitas saudades!»
Bernardo Mingote (5ºC)






« Ilha Fantasia, 29 de Janeiro, 2010-03-01

Meu querido Rapaz,
Nem imaginas as saudades que sinto tuas …Mas isso vai já acabar porque eu enviei por uma amiga minha, a gaivota, algo para te dar e trazer para junto de mim.
Vais receber um suco de anémonas e algas que te vai pôr a respirar debaixo de água e assim podes andar no fundo do mar e na terra. Vai ser maravilhoso, vamos poder estar sempre juntos e assim nunca mais vamos sentir saudades.
Não tenhas medo, o suco não tem efeitos secundários, é seguro!

Muitos beijinhos carinhosos,

Menina do Mar
P.S. Tenho saudades! »
Rita Abrantes (5ºC)

« Rocha grande, 29 Janeiro 1980
Querido amigo,
Venho dizer-te que tenho imensas saudades tuas e estou muito triste por termos de viver separados e não poder ver-te.
Quero que me venhas ver e que cuides do polvo, do caranguejo e do peixinho. Eu agora estou presa na gruta da Grande Raia e não posso ir à minha Rocha.
Espero que estejas bem, tenho tantas saudades das nossas conversas…por favor, tenta vir ver-me!
Vou pedir à raia se me pode libertar e eu juro-lhe que vou dançar para ela sempre que ela quiser.
Mil beijos,
Menina do Mar
P.S. Tenho muitas, muitas saudades tuas!» Maria Filomena (5ºC)